Glossário MTG

[EM CONSTRUÇÃO]
Magic: The Gathering é um trading card game (ou TCG) criado em 1993 pelo matemático e game designer Richard Garfield, PhD. De lá pra cá, já se vão anos e anos de estrada. O jogo ficou mais complexo, ganhou ares de esporte (basta ver as cifras pagas aos campeões de torneios oficiais...) e se firmou como o principal cardgame do mundo.

Para ajudar a entender um pouco a entender o jogo - e não deixar boiando que ler sobre ele aqui no Caixa - que postamos um glossário de termos de Magic. Não nos limitamos apenas aos termos básicos de jogo, mas também às gírias que foram incorporadas ao léxico de Magic, seja referentes aos tipos de decks ou algumas cartas clássicas.

Seja como for, esperamos que vocês possam se interessar por Magic - ou ao menos, passar a enxergar melhor o funcionamento - através dos textos de João Franco (o João de Campo Grande) aqui no Caixa da Memória. :)

O BÁSICO
Wizards/WOTCWizards of the Coast, empresa que gerencia o Magic;

Deck: baralho. Normalmente, composto por 60 cartas. Há modos de jogo que exigem menos ou mais cartas;

Cores: as cartas são divididas em cinco cores - branco, azul, preto, vermelho e verde. Cada cor é mais forte num determinado tipo de estratégia. Você pode ter um deck com cartas de apenas uma cor, ou combiná-las para tornar seu deck mais versátil. Antigamente, era comum que duas cores fosse o máximo de combinação. Atualmente, e especialmente em torneios profissionais, é comum ver baralhos com três ou mais cores;

W, U, B, R, G: é uma legenda universal que identifica os tipos de mana, respectivamente - branco, azul, preto, vermelho e verde. Se alguém diz que o custo de uma carta é 2BB, significa que ela custa duas manas pretas e duas de qualquer cor;

Mana: é o custo das cartas e é representado nelas através de símbolos - sol para branco, gota d'água para azul, caveira para preto, chama para vermelho e árvore para verde. A figura abaixo ilustra melhor. ;)



Artefatos: cartas que não possuem cor, e portanto, podem ser usadas em qualquer deck. Com os blocos de Mirrodin e Cicatrizes de Mirrodin, foi possível montar decks compostos quase exclusivamente de artefatos. Não é obrigatório ter um artefato no seu deck, ele são apenas mais uma opção de estratégia para os jogadores;

Terrenos: é o tipo de carta básica de seu deck. Normalmente, em torno de 24 cartas do deck serão terrenos. Elas são necessárias para jogar as outras cartas, pois é através do terreno que você vai acumular mana e pagar seus custos.

Planinauta - card que representa um personagem que despertou a Centelha (ou Fagulha) e consegue viajar entre os planos. Tem marcadores de lealdade e pode ser atacado. Geralmente tem três habilidades. São cartas muito fortes e que vêm definindo os formatos Standard e Vintage. O mais famoso é Jace Beleren, é todas as suas encarnações;

Raridade: Magic é vendido em boosters (pacotinhos) de 15 cartas, separadas por raridade - comum, incomum, rara e rara mítica. Normalmente, três serão incomuns, um será rara e o restante, comum. Ocasionalmente, uma carta do booster será mítica (ou seja, se alguém te disse que tirou quatro míticas em quatro boosters, desconfie...). A raridade mítica é recente, foi introduzida na edição Fragmentos de Alara;

Sideboard: ou apenas side. É a reserva do deck. Quinze cartas que o jogador pode trocar com o deck para mudar a estratégia de seu jogo. Não é obrigatório ter um side em partidas casuais;


Fichas: ou tokens. Cartas que representam criaturas, como Esquilos, Goblins, Soldados, Espíritos...alguns decks Standard usam fichas, como as geradas por Timely Reinforcements e Lingering Souls. Sempre existe alguém que monta um deck de fichas, porque elas representam vantagem em cartas (você joga uma carta e ganha duas ou três). Ao lado, segue o exemplo de uma ficha oficial (você pode usar qualquer material para representar as fichas, mas fica mais bacana usar uma destas. Nem é tão difícil conseguir uma. Elas podem vir num booster, ou você pode comprar baratinho em algum site ou vendedor);



Douradas e híbridas: existem cartas que possuem mais de uma cor. Elas podem ser douradas ou híbridas. Se forem douradas, elas exigirão o pagamento de pelo menos dois tipos de mana diferentes. Se forem híbridas, elas darão a opção de pagar mana de um ou outro tipo, em qualquer combinação. Abaixo, seguem dois exemplos, um de carta dourada e outro de híbrida.

   
Amuleto Dimir é uma carta dourada. Ela é ao mesmo tempo azul e preta (basta ver os símbolos do custo, no canto superior direito). Para jogá-la, é preciso pagar uma mana azul e uma mana preta.
Biomutação é uma carta híbrida. Ela é ao mesmo tempo azul e verde. Para jogá-la, você pode pagar uma mana azul OU uma mana verde.
Sacaram a diferença entre douradas e híbridas? ;)


CONCEITOS
Counter: mágica que anula outra mágica que está sendo conjurada. Exemplos: Contramágica, Fuga de Mana, Força de Vontade, Pasmar;

Dano direto: mágica que causa dano a criaturas e/ou a jogadores. Exemplos: Raio, Incinerar, Explosão de Fogo, Choque;

Remoção: mágica que remove permanentes. Famosas: Atacar a Jugular, Raio, Naturalizar, Anel do Esquecimento;

Bounce: mágica que devolve permanentes para a mão do seu dono. Lembrando: Bumerangue, Verdade Reverberante, Esconjurar, Soçobrar, Sabotagem do Metal;


Bomb: uma criatura que desestabiliza o jogo ao entrar no campo de batalha. Se você joga uma dessas, é vitória certa! (ou pelo menos, muito perto disso);


TORNEIOS
Formato: classificação dos torneios; serve para definir que tipo de cartas são válidas naquele formato. No standard (ver abaixo), por exemplo, só valem as cartas mais recentes.

Standard: ou Padrão. É o formato mais badalado do jogo, devido a ser o que usa as cartas mais recentes. Tem sempre uma coleção básica e outros dois blocos. Hoje jogamos com M2013, Innistrad e Retorno a Ravnica;

Legacyou Legado. Segundo formato mais jogado do MTG. Valem todas as edições lançadas, mas algumas cartas são banidas;


Vintagevalem todas as edições lançadas, mas algumas cartas são banidas e outras, restritas. Pouco interativo. Atacar é para os fracos;


Pauperformato não oficial em que só valem cards que foram lançados como comuns. Também conhecido como PDC;

Limitado: formato em que o deck é construído no momento do torneio. Abrange deck selado, draft e team draft;


DECKS FAMOSOS
Maverickum deck Legacy verde e branco que usa uma agressividade seletiva - criaturas com efeitos interessantes contra decks específicos. Faz parte da estratégia um pouco de balas de prata que são buscadas pelo Cavaleiro do Relicário e pelo Místico Litoforjador ou até pelo versátil Xamã da Fauna. Dois exemplos recentes: http://migre.me/a42kK e http://migre.me/a42rf;

GW Beatsum deck Vintage agressivo que tenta desesperadamente encaixar alguma criatura ou artefato que inviabilize estratégias de combo ou de controle nos primeiros turnos da partida. Cartas-chaves: Mago do Bando QasaliGaddock TeegCálice do VácuoEspinho de Ametista;

White Weenie: talvez uma das estratégias mais antigas do jogo. Dizem as más línguas que depois da explosão atômica vão sobrar as baratas e o White Weenie. É um baralho agressivo que usa criaturas pequenas (geralmente de custo no máximo 3), algum bônus (Cruzada, Honra do Puro, Orgulho da Milícia) e uma pitada de remoção (DesencantarAnel do EsquecimentoEspadas em AradosCaminho para o Exílio). Em 2010 o imortal Kai Budde - melhor jogador de todos os tempos - satanizou o Pro Tour Amsterdam com esta lista;

Slighvem de slight (ligeiro). Outro deck velhinho, surgiu durante a dobradinha Miragem-Tempestade. Criaturas pequenas e dano direto para terminar o jogo rapidamente. Clássicos: Filhote de ChacalRaioIncinerarExplosão do FogoEsfera de RaiosMogg Fanático. Sempre é reencarnado quando as magias vermelhas o permitem;

Reanimador Legacy: Deck muito rápido do formato Legado que coloca criaturas enormes (GriselbrandJin-GitaxiasIona) no cemitério com o auxílio de SepultarDiabrete Pútrido e Estudo Cuidadoso. Depois elas entram em jogo graças a Reanimar e Exumar. Usa um pouco de proteção (Coergir) e já foi um deck equilibrado, mas com a chegada de Griselbrand, as coisas ficaram nefastas por causa da habilidade do gigante de comprar cartas em troca de vida. Dizem as más línguas que ele pode ser banido do formato;

Dredge: Jogado no Vintage e no Legacy, abusa da mecânica Escavação (Dredge) para lotar o cemitério de cartas com essa mecânica, que vão trazer mais cartas interessantes (IcorídioTerapia da CabalaPonte das ProdundezasBloodghastNarcomeba) para ele. Depois você morre nas mãos de um exército de zumbis liderado pelo Zelote do Clã das Chamas ou de uma Iona que entra em jogo cedo demais. Acredito que a fuleiragem-mor do deck seja o Dread Return, que se alia à Ponte para gerar os zumbis que andam sempre em bando. No Vintage, a mecânica de compra é o insano Bazaar of Baghdad; no Legacy, temos Breaktrhough, Estudo Cuidadoso, Faithless Looting...

Miragem, Tempestade e Investida: blocos antigos de Magic, cada uma com um tema e mecânicas próprias, mas que podem interagir com todas as outras cartas do jogo. Lançadas respectivamente em 1996, 1997 e 2002.

= = = = = = = = = = = = = = = = = = = =

João Franco (ou João de Campo Grande) está envolvido com Magic desde 1997 (culpa de Wesley!).  Atualmente, está mais para lagartixa (vendedor de cards) do que para jacaré (jogador de Magic). Leitor voraz, gamer de responsa, entrou nessa de webdesign e comunicação. Não quer ver o Sport ser rebaixado de novo nem tão cedo. É da paz, mas não fuma o cachimbo. Puro sossego e bom humor. Ah, e sincero

Wesley Prado é recifense, leonino, quase jornalista e nostálgico. Lembra da queda do Muro de Berlin. Simplesmente louco por quadrinhos, RPG, livros e cinema. Criador do Caixa da Memória, mas humilde demais para querer ser chamado de deus ou papai. Ultimamente, com saudade de sorrir.


Nenhum comentário:

Uêba - Os Melhores Links Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!