segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Mil Palavras nº 21

0 comentários
Créditos: Humberto, publicado no Blog do Torcedor

domingo, 27 de novembro de 2011

Videodrome n° 23 - Uma carona ao futuro

0 comentários
Olá, caixeiros viajantes... o Videodrome dessa semana mostra o mundo da tecnologia em seus aspectos mais impressionantes. Como o objetivo de todas essas inovações é tornar o futuro mais prático e dinâmico, os vídeos de hoje se dispõem a prever como serão os próximos anos, a mostrar coisas já existentes e brincar um pouco com toda essa magia. Vamos então viajar no tempo a nossa frente (infelizmente, sem Deloreans). 

Minigames do tempo do ronca no seu computador!

1 comentários
Donkey Kong, duas telas,
e não é Nintendo DS, hein?
Não, esse post não é sobre de Game Boy, Game Gear, TurboExpress, Lynx ou qualquer outro portátil poderoso que marcou época. Esse é para uma galera realmente das antigas, no melhor espírito Caixa da Memória.

Muito antes da Nintendo dominar o mercado com seu Game Boy, houve uma geração de aparelhos que fez a cabeça da garotada, e isso sem grandes efeitos visuais, músicas complexas ou modo multiplayer. A geração do minigame, muito estimulada no Brasil pela Tec Toy, se divertiu horrores com joguinhos portáteis com tela de LCD sobre fundo fixo - uma figura que servia de cenário


sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Estreias da semana (25/11 - 01/12)

0 comentários
Boa tarde, amigos caixeiros! Passada a histeria chamada Amanhecer - Parte 1, temos uma semana de estreias como ela deve ser: diversificada. Claro que o filme dos vampiros-fada ainda vai durar muito tempo em cartaz, mas pelo menos, teremos mais opções para fugir deles.

Pré-estreia
Meu País (Brasil, 2011)
Filme já comentado aqui em outro Estreias da semana (ver aqui). A diferença nesta semana é a quantidade maior de salas, com horários a partir do meio-dia. Muito melhor que a sessão única, no fim de noite, no Cine Rosa e Silva.
UCI Ribeiro Recife 7 | 12h10 (sáb e dom), 19h (seg a qui) e 21h10 (sex)
Cine Rosa e Silva 3 | 18h15 e 20h15


Estreias
Happy Feet 2 - O Pinguim (Happy Feet 2, AUS, 2011)
Mano e sua turma estão de volta! A animação musical estrelada por pinguins cheios de talento ganha sequência num filme com a mesma vibe ecológica do primeiro. Agora, é o filho de Mano que é a grande estrela do filme. Se Happy Feet já foi lindo, essa sequência tem tudo para ser ainda mais.
Box Guararapes 
Sala 5 | DUB | 3D | 13h, 15h10, 17h20, 19h30, 21h40
Sala 12 | DUB | 14h05, 16h20, 18h35, 20h50
Multiplex Boa Vista 3 | DUB | 13h25, 15h40, 17h50, 20h10
UCI Kinoplex Plaza 5 | DUB  3D | 14h30, 16h45, 19h, 21h20
 * 12h15 (sab e dom). 23h35 (sexta e sab)
UCI Ribeiro Recife 1| DUB | 3D | *12h15 (sab e dom), 14h35, 16h55, 19h15, 21h35, 23h55 (sex, sab)
UCI Ribeiro Tacaruna 8 | DUB | 3D |  *12h10 (sab e dom), 14h20, 16h30, 18h40, 20h50, 23h (sex, sab)
Cinema Rosa e Silva 1 | DUB | *12h30 (sexta a dom), 14h40, 16h45, 18h50, 21h


Assalto em Dose Dupla (Flypaper, EUA/ALE, 2011)
Misturando filme de assalto e comédia, passa longe de ser um Vida Bandida. Minha opinião? Assista somente se não tiver nada melhor no horário. Não parece ser o tipo de filme que valha a pena assistir.
Box Guararapes 11 | LEG | 15h30, 17h30, 19h30, 21h30
UCI Ribeiro Recife 2 | LEG | 17h20, 19h20, 21h20,  *23h20 (sex, sab)
UCI Ribeiro Tacaruna 2 | LEG | 18h, 20h, 22h, *0h (sex, sab)


Medianeras - Buenos Aires na Era do Amor Virtual (Medianeras, ARG, 2011)
Martin e Mariana vivem na mesma cidade, na mesma quadra, em apartamentos um de frente para o outro mas nunca conseguem se encontrar. Conhecem-se na internet e vivem quase se encontrando na vida real com frequência, sem saberem um do outro. Nas palavras do diretor Gustato Taretto, o filme é "é o resultado de várias ideias, que em algum momento - que eu nem sei dizer qual - começaram a se unir. A maioria delas é o resultado de minhas observações e da minha curiosidade sobre Buenos Aires e seus habitantes que muitas vezes vivem suas vidas mais na internet do que fora dela". 
Grande sacana a cena que alude ao famoso personagem de Onde está Wally? com a dificuldade de encontrar as pessoas na vida real.
Cinema Rosa e Silva 3 | LEG | 16h40, 18h40, 20h45


Não Sei como Ela Consegue (I Don't Know How She Does It, EUA, 2011)
Sarah Jessica Parker interpreta uma mulher mega atarefada, que consegue (ou ao menos tenta) dar conta do trabalho, do casamento e dos filhos. Meio óbvio na mensagem, mas parece bacaninha. Deve garantir mais situações engraçadas que o filme do assalto lá do começo.
Box Guararapes 9 | LEG | 15h10, 17h10, 19h10, 21h10
UCI Kinoplex Plaza 3 | LEG | 15h30, 17h40, 19h45, 21h50, *23h55 (sexta e sab)
UCI Ribeiro Recife 9 | LEG | 15h30, 17h30, 19h30, 21h30,  *23h30 (sex, sab)
UCI Ribeiro Tacaruna 7 | LEG | 15h25, 17h25, 19h25, 21h25, *23h25 (sex, sab)

Late Bloomers - O Amor Não Tem Fim (Trois fois 20 ans, FRA, 2011)
Casal de meia-idade, interpretado por Isabela Rossellini e William Hurt, começa a enfrentar os desafios do envelhecer. Não apenas fisicamente falando, mas também no que se refere ao relacionamento entre eles e suas posturas diante da vida. Filme interessante e bem-humorado, mostra inteligência já no trailer. É, "envelhecer não é para os fracos".
Box Guararapes 4 | LEG | 16h50, 21h25

Especial
Seguem O Jardim das Folhas Sagradas e Um Sonho de Amor. No domingo, será exibida apresentação de A Bela Adormecida, do Balé Bolshoi. E estreia o nacional 180º.
180º (Brasil, 2011)
Triângulo amoroso tenso, embaralhado em relações de amizade e trabalho, e com uma fotografia meio borrada, traz Eduardo Moscovis de volta  à cena. Ainda conta com a competente Mallu Galli no elenco.
UCI Ribeiro Recife  21h30 (sex) | 12h10 (sab, dom)


O Jardim das Folhas Sagradas (Brasil, 2011)
Cinema São Luiz | 15h20, 17h10, 19h (Exceto sábado e segunda)


Um Sonho de Amor (Io sono lamore, Itália, 2010)

UCI Ribeiro Recife 7 | LEG | 19h (seg a quinta). 


Uma Doce Mentira (De vrais mensonges, FRA, 2010)

Multiplex Boa Vista 2 | LEG | 20h40 (quinta)
UCI Kinoplex Plaza 1 | LEG | 12h10 (dom)
UCI Ribeiro Tacaruna 5 | LEG | 19h (seg)


A Bela Adormecida (Ballet Bolshoi)
(sem trailer)
Conto de fadas, criado pelo escritor francês Charles Perrault, sobre uma princesa que é enfeitiçada para dormir até que um príncipe encantado a desperte com um beijo de amor.

UCI Ribeiro Recife 3 | 12h (dom)

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Tiririca, a piada que deu certo?

1 comentários


Como no Caixa de Memória tem muito jornalista e jornalista tem quase como obrigação comentar uns fatinhos do mundo para avisar ao pessoal, a moça que vos escreve gostaria de informar uma pauta que alguns jornais deveriam comentar: o deputado federal Tiririca está emplacando o seu terceiro projeto na Câmara para votação.

Romeu e Julieta cyberpunk

0 comentários

Releituras de clássicos é aquela coisa: amor ou ódio à primeira vista. Ainda por cima, é um negócio arriscado. Difícil agradar os fãs da obra original sem trazer elementos que interessem aos novos fãs. O recente Os Três Mosqueteiros, por exemplo, foi mal criticado pelo excesso de parafernálias típicas dos filmes de ação atuais. De fato, é complicado unir a famosa história de Dumas à navios voadores, artes marciais, acrobacias humanamente impossíveis e tiros, tiros e mais tiros - ah, sem esquecer as explosões.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Bazar du Mago - Compre ou sofra as consequências :D

0 comentários
Olá, Caixeiros! João de Campo Grande, o Leão da Tribo de Judá, me mandou sua lista atualizada megaboga de cards de Magic para vender aqui no Bazar du Mago. Aproveitem os precinhos camaradas dele, ou sofram as consequências da maldição do Mago e nunca mais ganhe um duelo sequer! MUAHUAHUAHUAHUA


DICA: se você por acaso não lembrar de alguma carta pelo nome, acesse o Gatherer, o banco de dados das cartas de Magic. Para facilitar sua vida no uso desta ferramenta, uma vez acessado o site, vá até a opção Settings e lá no final da página, marque inglês como idioma de preferência. Depois, é só digitar o nome da carta em inglês que você vai encontrá-la sem problemas. Pode parecer estranho indicar o idioma inglês como preferência quando o português está entre as opções, mas acredite, você terá menos problemas nas buscas fazendo isso. Por algum motivo escabroso, o sistema tem dificuldade em reconhecer os nomes das cartas que não estejam no idioma original do jogo.


O texto abaixo é do próprio João, com pouquíssimas alterações.

COMO COMPRAR?
Você pode entrar em contato (por aqui, nos comentários, ou via e-mail – joaodecampogrande@yahoo.com.br) informando as cartas que deseja. Então eu adiciono R$4,00 ao valor total das cartas (para suprir as despesas com postagem. Envio com registro e seguro! Se você depositou o dinheiro e as cartas extraviaram, assumo o compromisso de ressarcir você no valor depositado!) e informo os dados da minha conta bancária.

Por sinal, trabalho com o Banco do Brasil.

Depois de que o depósito ter sido efetuado, você entra novamente em contato mandando o seu endereço completo. Quando eu confirmar o depósito, envio suas cartas e mando o código de registro dos Correios (uma seqüência de 13 caracteres, como RH164989233BR que serve para você acessar o site dos Correios e rastrear sua encomenda) e você espera as cartas chegarem (leva, em média, de três a cinco dias úteis).

Negocio com cartas de Magic há 07 anos e nunca tive problemas com compradores. Acompanhe meu histórico aqui: http://bit.ly/u3RTff

Se ainda assim você quiser mais informações, posso lhe dar o meu número de telefone celular e o do meu trabalho. Estou aqui para negociar e fazer amigos e a satisfação dos meus clientes é PRIORIDADE MÁXIMA.

Assim, vamos negociar!




Brancas / White
2 Equilíbrio / Balance (Inglês, Revised) R$6
4 Dia do Julgamento / Day of Judgment (Inglês, Magic 2011) R$5
2 Paladino en-Vec / Paladin en-Vec (Inglês, Êxodo) R$5
2 Círculo de Histórias / Story Circle (Inglês, Máscaras de Mercádia) R$4
4 Lince Espectral / Spectral Lynx (Inglês) R$2
1 Brigite, Heroína de Kinsbaile / Brigid, Hero of Kinsbaile (Inglês) R$2
2 Anjo da Égide / Aegis Angel (Inglês, Magic 2012) R$1,50
2 Santuário Pessoal / Personal Sanctuary (Inglês, Magic 2012) R$1,50
3 Kemba, Regente Kha / Kemba, Kha Regent (Inglês) R$1,50
2 Morte-Vida Phyrexiana / Phyrexian Unlife (Inglês) R$1,50
2 Arauto da Vitória / Victory's Herald (Inglês) R$1,50
4 Encantadora de Meseta / Mesa Enchantress (Inglês, Magic 2012) R$1,50
1 Paladino Portaluz / Lightwielder Paladin (Inglês) R$1,00
3 Cavaleiro do Nimbo Sagrado / Knight of the Holy Nimbus (Inglês) R$1,50
2 Andarilho do Fogo Kor / Kor Firewalker (Inglês) R$1,50
4 Cavaleiro Branco / White Knight (Revised, Inglês) R$1,00
2 Encarregado das Almas / Soul Warden (Inglês, Magic 2010) R$0,75
2 Zagaieiros Icatianos / Icatian Javelineers (Inglês, Versão 02) R$0,50
1 Zagaieiros Icatianos / Icatian Javelineers (Inglês, Anthologies) R$0,50
1 Zagaieiros Icatianos / Icatian Javelineers (Inglês, Timeshifted) R$0,50


Azuis / Blue
4 Estrela Flutuante / Broodstar (Inglês, Mirrodin) R$4
4 Soberano Tritão / Merfolk Sovereign (Inglês, Magic 2011) R$2
2 Liberação da Mente / Mind Unbound (Inglês, Magic 2012) R$1,50
3 Remoldar/ Shape Anew (Inglês) R$1,50
4 Batalha de Raciocínio / Battle of Wits (Inglês, Odisséia) R$1,50
1 Gênio Mahamoti / Mahamoti Djinn (Nona Edição, Português) R$1
1 Djinn dos Desejos / Djinn of Wishes (Inglês, Magic 2010) R$1
1 Erupção Vulcânica / Volcanic Eruption (EXCELLENT, Português, Quarta Edição) R$1 1 1Escriba Mágico / Magical Hack (EXCELLENT, Português, Quarta Edição) R$1
5 Contramágica / Counterspell (Inglês, Era Glacial) R$3,50
4 Fractius Alado / Winged Sliver (Inglês, Tempestade) R$2
2 Calafrio / Chill (Inglês, Tempestade) R$2
1 Impulso / Impulse (Inglês) R$2
4 Sorte Inesperada / Windfall (Inglês, Commander) R$2
6 Fuga de Mana / Mana Leak (Inglês, Magic 2012) R$1,50
1 Negar / Negate (Inglês, Magic 2012) R$0,50
1 Acúleo da Força / Force Spike (Sétima Edição, Português) R$1,00 
1 Acúleo da Força / Force Spike (Sétima Edição, EXCELLENT) R$0,50
1 Ilusionista Cefálida / Cephallid Ilusionist (EXCELLENT, Português) R$0,50


Verdes / Green
2 Garruk Falabravo / Garruk Wildspeaker (Inglês, Comandeer) R$12 
2 Perfuratriz / Groundbreaker (Inglês) R$5
2 Putrefax (Inglês, FOIL) R$3 
2 Hidra Phyrexiana / Phyrexian Hydra (Inglês, FOIL) R$3 
2 Abelhas de Unyaro / Unyaro Bees (Inglês, FOIL) R$3 
2 Quagnoth (Inglês, FOIL) R$3 
4 Rhox (Inglês, Nemesis, FOIL) R$3 
4 Thelon de Havenwood / Thelon of Havenwood (Inglês) R$3
4 Baloth Voraz / Ravenous Baloth (Inglês, Garruk Vs. Liliana) R$3
4 Bruxa de Verduran / Verduran Enchantress (Inglês, Nona Edição) R$2 
2 Colheita Precoce / Early Harvest (Inglês, Miragem) R$2 
4 Chamado do Rebanho / Call of the Herd (Inglês, Timeshifted) R$2 
2 Dríade Quirion / Quirion Dryad (Inglês, Décima Edição) R$2 
3 Furacão / Hurricane (Inglês, Revised) R$2
1 Ascensão do Senhor das Feras / Beastmaster Ascension (Inglês) R$1
2 Manaplasma / Manaplasm (Inglês) R$0,75
1 Paradigma da Floresta de Arbustos / Bramblewood Paragon (Inglês) R$2,50


Vermelhas / Red
1 Chefe Goblin / Goblin Chieftain (Inglês, Magic 2010) R$5,00
4 Esmagador Taurino / Taurean Mauler R$4
4 Dragão do Antro de Rakdos / Rakdos Pit Dragon (Japonês, Jace Vs. Chandra) R$2
1 Moureja-Arco / Arc-Slogger (Inglês) R$2
1 Carbonizar / Char (Inglês) R$2
2 Assalto Sísmico / Seismic Assault (Inglês, Oitava Edição) R$2,00
1 Kazuul, Tirano dos Penhascos / Kazuul, Tyrant of the Cliffs R$1
2 Recrutador Goblin / Goblin Recruiter (Inglês, Visões) R$5,00
5 Raio / Lightning Bolt (Inglês, FOIL, Fire & Lightning) R$3,00
2 Canção Fervilhante / Seething Song (Inglês, Mirrodin) R$3,00
4 Elemental da Centelha Infernal / Hellspark Elemental (Inglês, FOIL, Fire & Lightning) R$3,00
2 Símio Kird / Kird Ape (Inglês, Revised) R$2


Pretas / Black
2 Mão dos Pretores / Hand of the Praetors (Inglês) R$5
4 Nuvem Mortal / Death Cloud (Inglês) R$5
4 Titia Louca / Mad Auntie R$3
4 Memoricído / Memoricide (Inglês) R$3
4 Lodo Necrótico / Necrotic Ooze (Inglês) R$2
3 Espectro Shimiano / Shimian Specter (Inglês) R$3
2 Colhedor de Cemitério / Cemetery Reaper (Inglês, Magic 2012) R$3,50
2 Vulto Nantuko / Nantuko Shade (Inglês, Magic 2011) R$3
4 Fossos da Morte de Rath / Death Pits of Rath (Inglês, Tempestade) R$3
2 Demônio das Cicatrizes Rúnicas / Rune-Scarred Demon (Inglês) R$3
4 Maga, Traidor para os Mortais / Maga, Traitor to Mortals (Inglês) R$3
2 Até Enjoar / Ad Nauseam (Inglês) R$2
4 Turba de Papões / Boggart Mob (Inglês) R$2
2 Tutela Sombria / Dark Tutelage (Inglês) R$2
2 Assassino da Realeza / Royal Assassin (Inglês, Magic 2012) R$2
4 Noite da Traição das Almas / Night of Souls' Betrayal (Inglês) R$2
4 Cardume Nauseante / Sickening Shoal (Inglês) R$2
4 Yukora, O Prisioneiro / Yukora, the Prisoner (Inglês) R$2
4 Musa Nascida do Túmulo / Graveborn Muse (Inglês, Legiões) R$2
2 Pesquisa Desesperada / Desperate Research (Inglês) R$2
2 Agenda de Yawgmoth / Yawgmoth's Agenda (Inglês) R$2,50
2 Reprocessar / Reprocess (Inglês, A Saga de Urza) R$2
4 Contrato Infernal / Infernal Contract (Inglês, Sétima Edição) R$2,50
3 Estaca da Alma / Soul Spike (Inglês) R$2
4 Senhor da Praga Phyrexiano / Phyrexian Plaguelord (Inglês, Phyrexia vs. The Coalition) R$2
2 Carniceiro de Malakir / Butcher of Malakir (Inglês) R$2
2 Atacar na Jugular / Go for the Throat (Inglês) R$4
1 Ritual Sombrio / Dark Ritual (Português, Quarta Edição, EXCELLENT) R$2
1 Ritual Sombrio / Dark Ritual (Inglês, A Saga de Urza, EXCELLENT) R$2
1 Ritual Sombrio / Dark Ritual (Português, Quinta Edição, EXCELLENT) R$2


Douradas & Híbridas / Gold & Hybrid
1 Cuspido e Escarrado / Spitting Image (Inglês) R$1


Artefatos / Artifacts
4 Golem Precursor / Precursor Golem (Inglês) R$3
2 Golem de Magnetita / Lodestone Golem (Inglês) R$3
4 Myr da Cintilação / Shimmer Myr (Inglês) R$3
4 Mestre de Forja de Kuldotha / Kuldotha Forgemaster (Inglês) R$3
2 Bolsa Druídica / Druidic Satchel (Inglês) R$3
4 Pó de Soro / Serum Powder (Inglês) R$3
2 Epocarasita / Epochrasite (Inglês) R$3
1 Epocarasita / Epochrasite (Inglês, EXCELLENT MINUS) R$2
4 Perímetro Defensivo / Defense Grid (Inglês, Legado de Urza) R$3
2 Roda da Tortura / Wheel of Torture (Inglês) R$3
4 Flauta de Citanul / Citanul Flute (Inglês, A Saga de Urza) R$3
2 Efígie Frágil / Brittle Effigy (Inglês) R$2
1 Mó / Millstone (Inglês, Décima Edição) R$2
4 Caldeira de Praga / Plague Boiler (Inglês) R$2
4 Matriz Amortecedora / Damping Matrix (Inglês) R$2
4 Solidéu Enxertado / Grafted Skullcap (Inglês, A Saga de Urza) R$2
4 Gaiola dos Pobres / Paupers' Cage (Inglês) R$2
4 Ankh de Mishra / Ankh of Mishra (Inglês, Sexta Edição) R$2
4 Tríscele / Triskelion (Inglês, Elspeth vs. Tezzeret) R$1,50
4 Pentavus (Inglês, Elspeth vs. Tezzeret) R$1,50
2 Mastícora de Juba Cortante / Razormane Masticore (Inglês, Elspeth vs. Tezzeret) R$1,50
4 Sino de Kormus / Kormus Bell (Inglês, Revised) R$1,50
3 Bosh, Golem de Ferro / Bosh, Iron Golem (Inglês, Planechase) R$1,50
1 Elmo de Coral / Coral Helm (Português, Quinta Edição, EXCELLENT) R$1
4 Batracóide / Frogmite (Inglês, Elspeth vs. Tezzeret) R$1


Terrenos / Lands
4 Ravina Enfurecida / Raging Ravine (Inglês) R$5
4 Zona de Guerra Disputada / Contested War Zone (Inglês) R$3
2 Pico da Caveira de Dragão / Dragonskull Summit (Inglês, Magic 2012) R$5
4 Bosque da Pétala Solar / Sunpetal Grove (Inglês, Magic 2012) R$3,50
4 Penhasco do Raizame / Rootbound Crag (Inglês, Magic 2012) R$3
2 Rio Subterrâneo / Underground River (Inglês, Nona Edição) R$5
4 Regiões Agrestes de Adarkar / Adarkar Wastes (Inglês, Sétima Edição) R$4
3 Fontes Sulfurosas / Sulfurous Springs (Inglês, Sétima Edição) R$3
3 Floresta Karplusana / Karplusan Forest (Inglês, Sétima Edição) R$3
4 Além Primordial / Primal Beyond (Inglês) R$3
4 Central de Vinherrante / Wanderwine Hub (Inglês) R$3
4 Ravina de Shiv / Shivan Gorge (Inglês) R$3
4 Coração de Yavimaya / Heart of Yavimaya (Inglês) R$2
4 Necrópole de Keld / Keldon Necropolis (Inglês) R$2
4 Penhascos Disputados / Contested Cliffs (Inglês) R$2
4 Tumba de Urami / Tomb of Urami (Inglês) R$2
3 Okina, Templo dos Avós / Okina, Temple to the Grandfathers (Inglês) R$2
4 Clachan Rústico / Rustic Clachan (Inglês, Elspeth vs. Tezzeret) R$1,50

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Lost e o Mundo Perdido

0 comentários
Fãs do sitcom Lost, perdoai-me porque hei de pecar: não vejo uma distância grande entre Lost e aquela série de televisão que já embalou nossas tardes depois do almoço na Record, a Mundo Perdido, hoje na Band, acho. A primeira semelhança já é bem clara: 'Lost' e The 'Lost' World. Tudo bem, essa foi tosca demais, mas com certeza você foi um dos que disse "não velho, isso é tosco demais!" com Mundo Perdido mas não foi tão sincero quanto ao real valor da série de TV Lost e sua perda de seis anos acompanhando.

[Psicotrópicas] Cabo das Tormentas

0 comentários

Para dobrar o Cabo das Tormentas, é preciso superar o medo. Do desconhecido, do impossível, do invencível. Eis-me aqui nesta linha derradeira, onde o juízo encontra o fim e a loucura toma conta. Prestes a cometer um ato que certamente destruirá aquilo que conheço por felicidade…

Chove forte. Um aguaceiro tremendo. O carro tornou-se uma arma em potencial na maliciosa equação que junta asfalto molhado, pouca visibilidade e 80 km/h numa mesma expressão. Olhei para ela e disse:

-Acho que não vai dar pra chegar em casa…
-Mas tem que dar! Liguei pra casa avisando que chegava antes das onze.
-Pois olha só em frente – falei, indicando a pista com uma das mãos. Tá tudo água. Esse carro vai terminar virando um bote.

Não menti a respeito das condições da pista. Uns duzentos metros adiante, a pista fazia um declive e virara uma imensa poça, prendendo muitos carros quando chovia daquele jeito.

-Então, faz o arrudeio, vamos contornar essa pista.

Aqui começaram as mentiras. Encostei o carro, para poder falar com ela direito.

-Nem pensar! Essa ERA a pista mais segura pra voltar. Se for seguindo a estrada pra pegar a subida lá embaixo, vamos dar em outro “laguinho” desses, e se retornarmos, a pista de fora tá congestionada e bloqueada por conta do acidente, lembra?

Na verdade, havia outros caminhos… Mas além de não conhecer alguns, queria prender-me ali, naquela situação, até que ela ficasse sem saída.

-Bem, dormir na rua é que não dá. Só se…
-Se o quê, menino? Vamos parar o carro num posto e esperar o dia amanhecer?
-Não, minha querida; tenho uma alternativa melhor. Um pouco onerosa, verdade, mas bem melhor.
-Tá, o que sugere?
-Bem… Tem um motel perto dessa pista, não dá mesmo pra passar além, por trás dele, porque do outro lado continua o alagado, então…

Ela me olhou meio de lado, até encarar-me totalmente. Era um olhar de curiosidade e descontentamento.

-Como assim, “motel”? Tá pensando besteira, é?
-Garota, pelo amor de Deus! É só pra dormir. Chegando lá, ligue pra sua casa e avise que não tinha como chegar em casa nesse pé d’água!
-Como que eu vou dizer a minha mãe que vou dormir num motel porque não tive como chegar em casa, hein?
-Melhor do que você dizer que não está conseguindo chegar, mas que vai continuar tentando, com essa chuva toda!
-E vou dizer que estás comigo, é? Já pensou nisso?
-Na verdade, já: basta dizer que está sozinha.
-Eu disse a ela que peguei carona contigo…
-Simples, diga que ficamos em quartos separados.
-Era uma boa mesmo isso.
-Só que não dá pra fazer isso na prática. Sai muito caro. Ficamos no mesmo quarto, ligamos pra nossas casas dizendo o que houve, mas sem citar o fato que vamos dormir no mesmo quarto. Pronto.

Ela parou, pensativa. Estava quase cedendo, podia notar na expressão dela. Só mais um pouco e…

-Tá bem. Aceito esse plano. Vamos, então.

…Bingo…

Chegamos no tal motel. Não era uma espelunca, pelo contrário. Quartos confortáveis, decoração agradável, e acima de tudo, limpo, muito limpo. Sem contar que a cama era enorme. A suíte que escolhemos era simples, só era mesmo a cama, um sofá, uma mesa com quatro cadeiras, frigobar, tv, som, e banheiro com chuveiro elétrico. Não havia banheira, hidromassagem, nenhuma excentricidade dessas.

-Bem que a gente podia ter pego a suíte com hidromassagem, né não?
-Você discordou por pensar que isso nos faria transar…
-É, eu sei, mas agora, nesse friozinho, ligava a água quente, ia ser gostosinho…
-Infelizmente, não dá pra mudar. A única água quente que vamos ter é a do chuveiro.
-Quer tomar banho antes de mim?
-Hum… Que bom saber que ainda existem cavalheiros no mundo.
-Não é cavalheirismo não… É que eu sei que você teve um dia mais puxado que o meu…

Ela fez aquela cara de “ah, como você é chato!”, que sempre faz quando eu subverto algo que ela diz achando ser a verdade.
De toda forma, ela terminou tomando banho antes de mim. Antes de fechar a porta, ela também aproveitou para me tirar do sério: ficou atrás da porta e, já sem calça, colocou uma das pernas através da fresta que deixou. Mostrou-me até metade da grossa coxa. Subia e descia, alisando a porta. Depois, esticava-se toda, repentinamente, e me fazia ainda mais abrir os olhos e prestar atenção. Eu não resisti e fiquei hipnotizado por aquela perna tão sedutora, tão mágica. Por fim, ela recolhe a perna, fecha a porta, e eu ouço um riso dela. Bati palmas em sinal de aprovação.

-Gostou? Memorize bem, pois eu não repito apresentação não, ouviu?
-Tem certeza? Olhe, que quando o público gosta muito, pede bis…

Ela deu outra risada. Devia estar radiante, claro. Se tinha alguma coisa que gostava era de se sentir desejada, de se sentir maravilhosa aos olhos de um homem. E quanto mais envolvida com o tal homem, melhor. Bem, éramos apenas amigos, mas eu já nutria sentimentos mais fortes por ela há bastante tempo. E sabia que ela também já sentiu algo semelhante por mim, num passado não muito distante

Enquanto ela tomava banho, tirei a camisa e os sapatos. Apesar da chuva forte lá fora, eu estava suado e um tanto cansado. Não há melhor remédio para o cansaço que aliviar os pés dos sapatos, livrá-los o quanto antes, permiti-los respirar aliviados. Tirei as meias e coloquei-as dentro dos sapatos. Não sei por que, mais notei que me sentiria ridículo caso ela me visse com as meias. Sensação estranha, não? Coisas da minha cabeça. Ri do meu próprio pensamento ridículo. Peguei uma bebida no frigobar e liguei a TV. Zapeei os canais em busca de algo que prestasse. Parei num desses canais pornôs de pay-per-view. Na tela, uma morena estonteante nadava nua, toda performática numa piscina com cascata. Era um mulherão, toda curvas, nádegas enormes, seios grandes e firmes, mas não exagerados. Lábios capazes de queimar. Depois de deslizar pelo fundo da piscina, como sereia que já nasceu sob as águas, a mulher sentava-se na beirada e se exibia para a câmera, tocando seios, clitóris, coxas, púbis, boca, barriga… Um corte na cena e ela aparecia debaixo da cascata, molhando o corpo, um poço de prazer, e chamando com o indicador, olhando diretamente para a câmera. Sentia-me capaz de atravessar o visor e aparecer do outro lado, junto àquela mulher… Na verdade, havia uma mulher, havia uma morena. E ela estava tão próxima…

A porta do banheiro se abriu, ela havia terminado o banho. Rapidamente troco de canal. Ainda bem que o volume estava baixo, bem baixo. Ela olha para mim e me diz:

-Sua vez, amore… Hum, tirou a camisa por quê? Num tá sentindo frio, não?
-Tava cansado. Dá um desconto, né? A gente vai só dormir, mas num precisamos ficar vestidos. Estou errado?
-Vai, menino, foi só pra te aperriar.
-Mas tu é chata, visse?

Ela olha pra mim e, levada, me dá uma língua.
Eu entrei no banheiro. E lá, com a porta fechada, pensei sozinho o quanto realmente estava cansado. Apesar das intenções com que dei entrada neste hotel, o dia fora estafante, um peso. Olhei-me no espelho, buscando a porção de meu eu cujo sangue fervilhava de desejo por ela, louco para ter A noite, mas o que eu mais via era um rosto inchado e pedinte de descanso. Lavei meu rosto – quem sabe eu despertaria um pouco – e fui enfim tomar banho. Nu, enquanto a água fria escorria por mim, comecei a relaxar e a perder o senso do ambiente. Fiquei parado enquanto meus ouvidos ficavam surdos com a água derramando-se ao redor deles. Talvez por isso não tenha ouvido a porta abrir-se.

Senti mãos delicadas tocando minhas costas, rapidamente deslizando em mim, e quando percebi, ela estava agarrada às minhas costas. O susto foi inevitável, tal o meu transe, mas a sensação era deliciosa. Senti que estava nua, seus fartos e macios seios roçavam em minha pele. Sua cintura colava a minha, e eu podia sentir seu púbis bem colado a minha coxa direita. Peguei em suas mãos no mesmo tempo em que ela agora contornava meu corpo e se posicionava bem em frente a mim. Seus cabelos começaram a se molhar, e a água descia em seu rosto. Ela abraçou-se de novo comigo, agora frente a frente. Foi o abraço mais forte e sincero que tinha recebido até então. Por um breve momento, entramos em transe os dois, e nos arrepiávamos com a frieza da ducha. Os bicos de seus seios me cutucavam.

Desliguei a ducha, puxei a toalha e enxuguei o corpo dela enquanto ainda estávamos abraçados. Ela retribuiu o gesto. Quando terminamos, larguei a toalha. Ela ergueu a vista e nossos olhos se encontraram: era visível a sua emoção. Com um movimento, a ergui nos braços, e a levei assim, como um marido entrando no quarto, na noite de núpcias, carregando sua esposa. Assim, nus, saímos do banheiro, só parando aos pés da cama. Desci-a de meus braços, deixei-a no colchão. Ela flexionou os joelhos para ficar numa altura mais próxima a minha. Beijou-me na boca, um beijo que nunca, jamais esquecerei. Assim beijando, deitou-se e me puxou para acompanhá-la no movimento, ato simultâneo. Completamente deitados, repetimos o abraço do banheiro e nos aconchegamos um do outro. Envolvidos dessa forma, ficávamos a nos mirar, olhos fixos no olhar do outro, captando detalhes do rosto, antes sem importância, mas que agora enchiam nossos corações de amor e desejo, uma mistura sensual, orgânica e explosiva.

No entanto, não passamos disto: admirarmos e acarinharmos um ao outro. Alisava o cabelo dela, enquanto ela percorria meu peito com a ponta dos dedos, de um lado para o outro. Eu percorria suas costas e ela o meu rosto e minha cintura. Massageamos um ao outro. Beijamos o pescoço, o rosto, a boca… Beijei aqui e ali seus seios. Ela também beijou no meu peito, deu umas mordidinhas. Mas o mais gostoso, creiam, era quando nos abraçávamos. Nossos braços puxavam nossos corpos, nossas pernas se entrelaçavam. Nossos sexos se tocavam; eu, absolutamente excitado, sentia-me ereto, roçando nela, sentia-lhe molhada, e mesmo assim, tão tentadoramente perto, não consumamos o ato. A noite toda, dois corpos nus se enrodilharam fogosamente e no entanto, nenhum sexo. Tudo que nos impedia era a certeza de que seguir adiante significava destruir dois mundos, duas histórias. E no entanto, isso não nos continha totalmente. Nossas libidos se satisfizeram com tais carícias. Era isso mesmo: prosseguir significaria o desejo de mais e mais e mais, e tal coisa não duraria para sempre. Alguma hora, tudo vazaria, a represa deste segredo esborraria, varrendo tudo pela frente. Era melhor desse jeito, se era pra ser de algum jeito.

Depois de um tempo, simplesmente adormecemos juntos, nos acariciando levemente. Eu alisando a cabeça dela e ela girando o indicador sobre o meu peito. Foram longos momentos de felicidade mútua, dois seres completos e em puro êxtase.
Amanhã? Será outro dia. Outro Cabo das Tormentas a vencer. Acordaremos, veremos o sol erguido na pintura azul do céu e sorriremos, pois a vida nos deu uma oportunidade única de um contanto tão profundo, sem, no entanto, nada nos tirar. Isso que é uma benção.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Asterios Polyp, um desafio aos quadrinhos

0 comentários

Autor: David Mazzucchelli
Tradução: Daniel Pellizzari
Editora: Quadrinhos na Cia (selo)
Formato: 19,7 x 26 cm
344 páginas
Preço: R$ 63,00


A cada ano, uma nova graphic novel espetacular é lançada, rompendo os paradigmas (sejam temáticos, estéticos ou narrativos) do que se entende por história em quadrinhos. Neste ano, esse papel com certeza é reservado à Asterios Polyp, editado no Brasil pela competente Cia da Letras, através do selo Quadrinhos na Cia.

Asterios Polyp é um "arquiteto de papel", ou seja, ele é o cara que ficou famoso pelos seus trabalhos teóricos, não por suas obras concretizadas (até porque não teve uma sequer). O cara é pedante ao nível do insuportável, meticuloso, altivo, misógino, adora ser o centro do universo e um tanto possessivo. Um figura perfeita para um quadrinho, não acham?

domingo, 20 de novembro de 2011

Um belo trabalho, e sem palhaçada

0 comentários
Se Selton Mello já era admirado pelo talento como ator, depois de O Palhaço, passará a sê-lo também como diretor


Sutil, doce, marcante. Apenas alguns adjetivos que definem muito bem O Palhaço (2011), segundo longa de Selton Mello na direção. Reunindo um precioso elenco numa história que beira a banalidade, mas com profundidade, o premiado ator consegue firmar-se ainda mais como um dos melhores de sua geração na dramaturgia brasileira.

Lobão e o "Lollapalooser"

0 comentários
Depois do barraco no palco e nos bastidores entre Peter Gabriel e Ultraje a Rigor na edição 2011 do festival SWU (veja aqui no Smooth Criminal, blog da nossa colaboradora Débora "Beeb" Leão), 2012 já promete mais confusão. Agora, o alvo é o Lollapalooza, festival famoso nos EUA, criado por Perry Farrell, vocalista do Jane's Addiction, e que terá sua primeira edição brasileira no ano que vem. E quem está disparando os petardos contra o Lolla é ninguém menos que Lobão.

Convidado para tocar no Lollapalooza made in Brasil, Lobão recusou lindamente a proposta ao saber que as bandas brasileiras, independente de quão famosas sejam, só poderão se apresentar entre 10h e 15h. Motivo: não misturar artistas brasileiros, nem mesmo fisicamente, com os estrangeiros. Oi?!?! Que tipo de festival é esse que segrega os artistas intencionalmente? Por outro lado, o quanto dessa indignação é realmente necessária? Haveria mesmo esse apartheid do rock, como Lobão está chamando, só por conta dessa escolha de horários para os brasileiros?

Deixo vocês com o próprio Lobão, num vídeo onde ele meio que inaugura uma campanha de boicote dos artistas e do público brasileiro ao Lollapalooza.

A pergunta é: onde que isso tudo vai dar? Mais nos próximos capítulos...


Wesley Prado é recifense, leonino, quase jornalista e nostálgico. Lembra da queda do Muro de Berlin. Simplesmente louco por quadrinhos, RPG, livros e cinema. Criador do Caixa da Memória, mas humilde demais para querer ser chamado de deus ou papai.

Videodrome n° 22 - Fail

0 comentários
Olá, gente bonita. Hoje tem mais Videodrome e essa semana fomos premiados com verdadeiras pérolas! Vamos falar sobre shows em ângulos diferentes. No entanto, tendo em comum uma vergonha alheia e um constrangimento que chega a doer na gente. A palavra de hoje é: fail. (Vem do inglês, significa falha, erro, qualquer coisa que não obteve sucesso...) E como sempre ouvimos que devemos aprender com os erros, que tal algumas lições básicas do que não fazer quando estiver participando de um desses?

Katy Perry Playback Fail

Essa é Katy Perry, fazendo um cover light de Jay-Z, se garantindo nas letras, na flauta e... flauta? Primeira dica: se você é uma cantora de sucesso e está arrasando no playback em seus shows, por favor, não se esqueça de decorar bem a música que está dublando ou então poderá ser descoberta. 

Repórter do Multishow toma bronca ao vivo

Segunda dica: se você é jornalista e foi explicitamente ordenada a não fazer entrevistas em uma área específica, desobedeça (afinal, furo é furo). Mas faça de tudo para impedir que o áudio da bronca grotesca que você tomou do segurança não vaze ao vivo na TV.

Ultraje a Rigor é expulso do palco do SWU

E uma dica importantíssima: Se você é da produção de um evento, não importa o porte (e olha que o evento citado é grande), não importa o local, o tempo, o espaço, o clima... saiba tratar os seus próprios clientes ou a situação pode ficar feia. A reputação do SWU (que já não andava lá essas coisas) desceu ainda mais quando permitiu a expulsão da banda brasileira do palco no meio da música. Vergonha alheia nível máximo.


Por hoje é isso. O Videodrome de hoje foi quase um zapost: rápido como quem rouba. Semana que vem voltaremos com mais... nos aguardem e continuem conferindo a Caixa mais legal da web.


Débora Leão tem 20 anos, estuda bateria e toca Jornalismo. É blogueira, rubro-negra, libriana, nordestina e neurótica. Gosta de viagens no tempo em Deloreans e queria ter nascido nos anos 80.

O Lado Nix da força nerd

0 comentários
Se tem uma coisa que está na moda é cultura nerd. Nunca antes na história deste país - ou de nenhum outro - o rótulo de nerd significou ser cool. Foi nessa onda de nerdismo mundo afora que vimos games serem adaptados para o cinema, Alotoni e Azaghal (do Jovem Nerd) serem considerados exemplos de empreendedorismo, livros virarem best sellers com fanbase puramente de nerds (vide A Batalha do Apocalipse, de Eduardo Spohr) e referências pop acumuladas em cada vez mais objetos de consumo. Neste quesito, quando se fala em seriado, pensamos logo em The Big Bang Theory, estrelada pelo quinteto Jim Parsons, Johnny Galecki, Simon Helberg, Kunal Nayyar e Kaley Cuoco. Quem diria que uma sitcom protagonizada por quatro cientistas nerds e uma loira gatinha-fútil-meio-burrinha-mais-muito-legal daria tão certo?

Na onda nerd que toma o planeta, surgiu um novo tipo de entretenimento, a websérie. A primeira que descobri foi The Guild, que eu poderia rotular como hardcore nerd. A história? Um grupo de jogadores de MMORPG (ou numa tradução livre, RPG online de multiplayer massivo) passam a se encontrar e viver grandes desafios, não apenas dentro mas fora do jogo. Idealizado por Felicia Day, que também estrela The Guild, a série começou como um projeto independente e despretensioso. Hoje, já na sua quinta temporada, funciona como qualquer seriado famoso, com direito a box de DVDs, divulgação patrocinada e tudo mais. Felicia Day ficou tão na boa com os nerds que recentemente estrelou outra websérie ligada a RPG: trata-se de Dragon Age Redemption, baseada no famoso game que depois ganhou sua versão para RPG de mesa e que é editado no Brasil pela Jambô Editora.

Você pensa que o Brasil ficou de fora das webséries? Que nada! Na vibe nerd de The Big Bang Theory com a loucura de Scott Pilgrim contra o Mundo, a Mambo Jack Filmes criou Lado Nix. A história versa sobre uma jovem chamada Nix que trabalha numa comic shop e que sonha em publicar uma graphic novel de sua autoria, O Górgole. Acontece que no seu caminho estão as dificuldades típicas enfrentadas por qualquer novo quadrinista, além de uma vilã terrível: sua (ex)amiga de infância e que atualmente só quer ver sua ruína.

Com direito a referências do cinema, quadrinhos, games e RPG, Lado Nix promete ser um sucesso - especialmente se nós, nerds, fizermos nossa parte com divulgação. Os efeitos são um pouco fracos em alguns pontos, mas na maioria das cenas, bastante competentes - especialmente quando se trata de algo produzido de forma tão independente assim no Brasil.
Confira abaixo a primeira temporada completa da websérie, com 5 episódios de 7 minutos, em média. A segunda temporada está prevista para 2012 - e que venha logo!

S01E01 - Um Novo Começo

S01E02 - Pesadelos

S01E03 - Mei Mei e Shazam

S01E04 - Festivus Hero

S01E05 - Vico Velasquez

Twitter: @lado_nix

Wesley Prado é recifense, leonino, quase jornalista e nostálgico. Lembra da queda do Muro de Berlin. Simplesmente louco por quadrinhos, RPG, livros e cinema. Criador do Caixa da Memória, mas humilde demais para querer ser chamado de deus ou papai.

sábado, 19 de novembro de 2011

Jogos Demoníacos e o Politicamente Correto

1 comentários
Danielfo, do Pensotopia, blog voltado para RPG de mesa, fez um texto muito legal sobre o Mal escondido nos jogos mais inocentes que as crianças têm ao seu dispor. Uma resposta bem-humorada aos vários momentos de terrorismo midiático que o RPG tem sofrido ao longo do tempo.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Estreias da semana (18/11 - 24/11)

0 comentários
*Devido a problemas técnicos, esse post está sendo publicado com nítido atraso. Conto com a compressão dos leitores.

Olá, amigos caixeiros! Esta semana, os cinemas brasileiros foram invadidos pelos vampiros mais sem sal da última década, tomando o lugar de qualquer outra estreia de maior repercussão. De mais novidades, apenas filmes de arte.

Estreias
Amanhecer - Parte 1

Dá até vergonha de postar informações sobre esse filme no blog. Só em Recife, 20 salas foram disponibilizadas para o 4º filme da franquia mais abestalhada de vampiros da atualidade. Bella e Edward continuam sua saga Crespúsculo com direito a passagem pelo Brasil - filmada em Angra dos Reis, com toneladas de paparazzi bizuiando o set. Este, que seria o último filme, foi dividido em duas partes, a la Harry Potter e As Relíquias da Morte. A diferença fica só na qualidade mesmo...
Box Guararapes
Sala 1 | LEG | *12h50 (sex, sab, dom), 15h40, 18h10, 21h
Sala 6 | DUB | 3D | 14h, 16h40, 19h20, 22h
Sala 6 | DUB | 13h10, 16h, 18h50, 21h40
Sala 7 | LEG | 14h30, 17h20, 20h10
Sala 12 | DUB | *12h30 (sex, sab, dom), 15h10, 17h50, 20h30
Multiplex Boa Vista
Sala 1 | LEG | 15h, 17h30, 20h30.
Sala 3 | DUB | 14h, 17h, 20h
Sala 4 | DUB | 13h, 15h40, 18h20, 21h
UCI Kinoplex Plaza
Sala 1 | DUB | *12h (sab e dom), 14h45, 17h30, 20h15, 23h (sex e sab)
Sala 2 | LEG | 13h, 15h45, 18h30, 21h15, *0h (sex, sab)
UCI Ribeiro Recife
Sala 1 | LEG | 14h, 16h40, 19h20, 22h
Sala 3 | LEG | 13h30, 16h15, 19h, 21h45
Sala 4 | DUB | *12h (sab, dom), 14h45, 17h30, 20h15, 23h (sex e sab)
Sala 8 | LEG | 13h, 15h45, 18h30, 21h15, *0h (sex, sab)
Sala 10 | DUB |  *12h30 (sab e dom), 15h15, 18h, 20h45, 23h30 (sex e sab)
UCI Ribeiro Tacaruna
Sala 1 | LEG | 20h45, *23h30 (sex e sab)
Sala 1 | DUB |  *12h30 (sab e dom), 15h15, 18h
Sala 3 | LEG | 13h, 15h45, 18h30, 21h15, *0h (sex e sab)
Sala 6 | DUB |  *12h (sab e dom), 14h45, 17h30, 20h15, 23h (sex e sab)
Sala 8 | DUB | 14h, 16h40, 19h20, 22h
Cine Eldorado
Sala 1 | DUB | 14h, 16h20, 18h50, 21h10 (sex); 14h30, 16h40, 18h50, 21h10 (sab, dom e qua); 16h40, 18h50, 21h10 (demais dias)
Cine Royal | DUB | 16h30, 18h30, 21h

Os Monstros (2010)

Filme cearense. O estúdio responsável, Alumbramento, teve muita coragem em divulgar de forma tão misteriosa - diria até desinteressante - esse filme. Os outros dois trailers disponíveis não dizem absolutamente nada a respeito. Esse que encontrei foi o menos ruim para postar. Além dos trailers fracos, só o slogan "Nenhum homem é um fracasso quando tem amigos". Ok, assim vocês despertam muito a curiosidade dos possíveis espectadores, né?
Cinema da Fundação | 19h (sex, ter) | 20h50 (sab, qui) | 17h10 (dom, qua)


Bollywood Dreams: O Sonho de Bollywood (Brasil/Índia, 2011)

Produção hindu-brasileira, filmada como cara de documentário fake sobre três atrizes brasileiras que vão tentar a sorte na segunda maior indústria cinematográfica mundial, Bollywood. Enquanto tentam sua grande chance, vão conhecendo a cultura local e mudando seus pensamentos e objetivos.
Cinema da Fundação | LEG | 20h40 (sex, ter) | 17h10 (sab, qui) | 18h50 (dom, qua)

Copacabana (Copacabana, França, 2010)
Mais um filme francês na cidade. Apesar do nome, Copacabana não chega não chegou a ter cenas filmadas no Brasil. A história é sobre uma senhora aloka extravagante que é proibida pela própria filha de ir ao seu casamento. Querendo provar a sua ingrata cria que pode ser mais que uma cabeça de vento, vai atrás de emprego numa cinzenta Bélgica, bem destoante de seu jeito expansivo.

Cinema Rosa e Silva
Sala 1 | LEG | 14h10, 16h20, 18h30, 20h40

A Alegria (Brasil, 2010)

Outro filme nacional em cartaz. Este parece ser bem cabeça e surreal. Conta a história de uma adolescente que está cansada de ouvir falar sobre fim do mundo e que perde um primo na véspera de Natal. Dias depois, recebe uma visita inesperada em sua casa.
Cinema da Fundação | 17h (sex, ter) | 18h50 (sab, qui) | 20h30 (dom, qua)


Especiais
Um Sonho de Amor (Io sono lamore, Itália, 2010)
Multiplex Boa Vista 6 | LEG | 20h30 (quin)
UCI Ribeiro Tacaruna 1 | LEG | 19h10 (seg)
UCI Kinoplex Plaza 1 | LEG | 12h10 (dom)




Wesley Prado é recifense, leonino, quase jornalista e nostálgico. Lembra da queda do Muro de Berlin. Simplesmente louco por quadrinhos, RPG, livros e cinema. Criador do Caixa da Memória, mas humilde demais para querer ser chamado de deus ou papai.