quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Retorno de Avacyn, ou macaco velho não põe a mão em Helvault



Vários meses depois, eis-me de volta escrevendo nesta Caixa tão querida. Não sei se foi o Pro Tour Gatecrash, em Montreal, no Canadá, ou fato de ter jogado Magic ao vivo durante o Carnaval que me motivou a escrever, mas o fato é que os dedos correm suavemente pelo teclado. 

A série é mencionada na fabulosa Contagem Argiviana, o que já lhe confere muito valor. Em suma: o anjo Avacyn volta pra colocar ordem na casa (Innistrad) e as criaturas malignas no chinelo, incluindo o poderoso Griselbrand, que anda satanizando o Legacy. Vamos às cores:


BRANCAS
Pena ser tão cara
Talvez a cor mais forte, até por ser a da protagonista da série. Muitos anjos e humanos, de preferência em ilustrações cheias de luz e céu. Gostei da arte de alguns uniformes e das penas esvoaçantes, que me remetem a animes. Para decks Pauper, gostei de Serafim da Aurora (sua bunda grande e o vínculo com a vida são estratégicos), da pegadinha Golpe Justo, que pode alterar alguns combates ao seu favor, e da Barreira Angelical - pode segurar o jogo durante alguns turnos ou levar alguma remoção e poupar alguma criatura mais interessante da morte certa. Desvio Nebular tem lugar certo em decks de criaturas com efeitos "quando entra no campo de batalha", não necessariamente Pauper.

Anjo da Restauração, Súplica aos Anjos e Paladino da Espada de Prata são cartas fortes no Standard, o que justifica seus preços tão altos. Mas também gostei da Deflexão Divina para decks de controle, pela casadinha ganhar um turno - eliminar uma ameaça e do Anjo do Júbilo, que poderia abrilhantar algum White Weenie.

O Terminus viu jogo no formato Legacy, já que os milagres são fortes quando combinados com Tampo de Adivinhação do Sensei e Tempestade Cerebral.

Finalmente, eu reanimaria a estrela da coleção, Avacyn, Anjo da Esperança, se ela não me custasse tantas Dilmas. Mas é a vida!

AZUIS
Esse ganhou o coração de João
Segue sofrendo.  A habilidade Elo espiritual não funciona com a cor das piores criaturas do jogo. A arte destaca muita névoa  e fantasmas. O Pauper ganha o Corvo das Brumas, que pode atrasar um oponente ou nos fazer reutilizar alguma criatura nossa com habilidades interessantes, e o Dragonete Remendado, uma reimpressão funcional do Elemental das Nuvens.

Sinto uma grande simpatia pelo Espectro Solitário naqueles decks cheios de counters e que investem bastante para conjurar apenas uma criatura e tentar ganhar o jogo com ela (sim, reconheço que isso é coisa do passado). Maestria Temporal completa o deck Legacy que mencionei acima. E é só.



PRETAS


Bicho bruto!
Em termos de temática, é coerente afirmarmos que o preto se lascou. Bem fraquinhas as cartas novas. A arte foi previsível, com esqueletos, demônios e vampiros.

Descida para a Loucura tem potencial - me lembra decks como Varíola ou Nuvem Mortal, que se caracterizam por terem táticas de destruição total. Griselbrand é o carro-chefe da cor. A habilidade de converter pontos de vida em cards revolucionou o Legacy e inclusive transformou o deck de Juramento dos Druidas num deck de combo, já que comprar 7 cards num formato onde quase tudo é perigoso e não-interativo pode ser vitória certa.

VERMELHAS

Dragão Pá-Pum!
A arte não me agradou tanto. Os vampiros continuam pouco competitivos, pois custam bastante.

Diria que sacudiu o Standard com remoções - Pilar de Chamas exila criaturas com Imortal ou com habilidades que seriam ativadas quando elas morressem, e a roubadíssima Fogueira dos Malditos, mediana mas insana como Milagre. Alvanel foi uma surpresa nos Slighs da vida, bem como o Dragão das Asas Arqueadas, imune a feitiços e bem interessantes em duelos Vermelho x Vermelho. Arder na Fogueira possibitou a criação de um deck de combo no T2, mais casual que profissional: bastam sete criaturas! ;D

Recrutas Zelosos viraram uma opção bem interessante para o sideboard, roubando Tragueopresas e Anjos inimigos, ainda que apenas por um turno. O Diabo Irritante chamou bastante minha atenção e deveria ser tentado no Legacy, por turbinar os Slighs.

VERDES

Lobo Mau é esse
Outra série de ilustrações normaizinhas.
Crescimento Abundante é um reforço para os decks de Encantadora Argothiana do Legacy.
No Standard, o Desafio Selvagem transformou os decks de Infectar numa realidade e o Lupíneo Coração de Prata é uma criatura muito forte e merece jogo inclusive  em formatos antigos, como o Modern. Comprei 2 para meu deck A Rocha e eles estão tocando o terror.

No Pauper, o Patrulheiro de Fronteira é outra opção de tentar uma cor extra. Pessoalmente, achei o Vingador Lupíneo é uma das melhores criaturas verdes lançadas recentemente. E fiquei com vontade de experimentar Vingança da Caça em decks de Infectar - imaginem a surpresa do adversário! :D

DOURADAS
Os anjos são lindos! E só. ^^

ARTEFATOS
A Lança de Prata Lunar parece uma opção interessante para os sideboards do Standard, contra criaturas. É lenta, mas pode fazer um estrago. Os outros artefatos, achei temáticos e tribais demais. Mas estão bem ilustrados!

TERRENOS
Os básicos foram ricamente ilustrados e os não-básicos parecem até fotografias. Gostei de todos estes últimos, excetuando o Santuário dos Serafins. O Standard apreciou a ótima Caverna das Almas, que deve extrapolar formatos protegendo criaturas importantes de counters. O Farol Desolado pode renovar os recursos dos decks de controle e a Fortaleza dos Matadores cai bem nos Boros da vida. Arriscaria o Refúgio do Alquimista num UG Loucura casual, apesar de ele ter se encaixado nuns controles super-lentos do T2.

Visão Geral:
Achei a série boa. Já estou usando alguns cards nos meus decks casuais e acredito que jogadores e colecionadores ficaram felizes com ela, que não vai passar em branco e conseguiu impactar formatos antigos. Consegue ser interessante sem ser apelativa e tem cards muito bem ilustrados. Fico feliz em analisar uma coleção que me faz sorrir enquanto escrevo.

É só, gente!
João de Campo Grande


= = = = =

Para conferir as análises de expansões anteriores, é só clicar nos links abaixo:
-Innistrad no divã
-O tropeço de Ascensão das Trevas

= = = = =

Algum termo te deixou confuso? Tire suas dúvidas - ou comece a entender um pouco de Magic - no nosso Glossário MTG! ;)


= = = = = = = = = = = = = = = = = = = =

João Franco (ou João de Campo Grande) está envolvido com Magic desde 1997 (culpa de Wesley!).  Atualmente, está mais para lagartixa (vendedor de cards) do que para jacaré (jogador de Magic). Leitor voraz, gamer de responsa, entrou nessa de webdesign e comunicação. Não quer ver o Sport ser rebaixado de novo nem tão cedo. É da paz, mas não fuma o cachimbo. Puro sossego e bom humor. Ah, e sincero



Nenhum comentário:

Uêba - Os Melhores Links Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!