terça-feira, 5 de outubro de 2010

Vale queixa no Procon?

O deputado federal Edgar Moury (PMDB-PE) foi notícia, hoje, ao reclamar de uma "traição" do eleito deputado estadual Clodoaldo Magalhães (PTB-PE). Razão? Clodoaldo teria-lhe prometido quase 15 mil votos, tendo "repassado" apenas 3 mil (estimativa de Moury).

Como se voto fosse mercadoria de troca, sabe?

Abaixo, segue a matéria completa, na Folha de Pernambuco:

“Fui traído miseravelmente por Clodoaldo Magalhães”
Deputado Edgar Moury diz que não recebeu votos prometidos
MANOEL GUIMARÃES Do Blog da Folha
As urnas não favoreceram a reeleição do deputado federal Edgar Moury Fernandes (PMDB). Com 56.845 votos (1,29% do total), o outrora aliado do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) esperava repetir os números de quatro anos atrás, quando foi votado por mais de 80 mil eleitores. Com exclusividade, o peemedebista fez um balanço das razões que podem ter lhe tirado o mandato, e apontou um responsável: o deputado estadual reeleito Clodoaldo Magalhães (PTB). “Eu, entre outras coisas, fui traído miseravelmente pelo deputado Clodoaldo Magalhães, que tem se tornado um traidor costumeiro. Tive o conhecimento de que ele também traiu o deputado federal Wolney Queiroz (PDT) nessa eleição. Prometeu a ele em torno de 12 mil votos, e ele só ganhou 1.500”, acusou Moury. Procurado pelo Blog da Folha, Wolney não quis se pronunciar sobre o assunto.
A traição a que o peemedebista se refere diz respeito à votação na Mata Sul. Moury mostrou uma planilha com a letra de Clodoaldo Magalhães, relacionando os votos que ofereceria em 20 municípios, “Ele prometeu 14.850 votos para mim, e repassou três mil, se muito. Por aí se tira. E ele se elegeu bem (foi o oitavo colocado, com quase 62 mil votos), mas eu não. Fui traído miseravelmente por Clodoaldo. Ele só disputou duas eleições, ainda é muito novo para esse tipo de comportamento. Lamento que tenha essa postura”, criticou Moury.

O peemedebista relatou que já havia sido advertido por um deputado federal reeleito sobre a parceria com Clodoaldo, em dezembro do ano passado, mas acabou ignorando o comentário. “Pensei que seria um desentendimento entre parceiros de eleição. Clodoaldo chegou ao ponto de pegar cavaletes meus em Catende para colocar no meu trajeto para eu pensar que estava tudo bem. Ele ligou para várias pessoas pedindo socorro para mandar propaganda minha para lá, porque eu ia chegar e não tinha cavalete meu. Além disso, na reunião que eu fui, para ter gente, ele colocou aluno escolar de menor idade para fazer número. Não demorei dez minutos lá, e saí enojado”, denunciou Moury, que se disse “constrangido e profundamente envergonhado” com o relato. “Faz parte da minha obrigação”, justificou. Clodoaldo foi procurado pelo Blog da Folha, mas não atendeu às ligações.

PENALIZADO

Além do problema com traições, Edgar Moury ressaltou a dificuldade da oposição nessas eleições. Para ele, a coligação foi “prejudicada” pela campanha majoritária. “Todos os candidatos proporcionais, quer seja estadual ou federal, ninguém conseguiu ter os votos que achava que iria ter. Ouvi várias vezes Sérgio Guerra (PSDB) dizer que teria mais de 200 mil votos, e teve 167 mil, uma diferença expressiva. Mendonça Filho (DEM) disse a mim várias vezes que iria ter 180 mil votos, e teve 142 mil. Trocando em miúdos, o que a população queria mesmo era a continuidade do governo de Eduardo Campos (PSB). E quem tivesse o mínimo de cheiro contrário ao governo foi penalizado. Até quem não fizesse uma oposição, que é o meu caso. Mas só pelo fato de ter o número 15 na legenda, eu fui penalizado”, explicou.


Tão vendo, nem precisa ser Tiririca pra ser palhaço e político...
-x-x-x-
Amanhã, postarei a foto que saiu nessa notícia.

Nenhum comentário:

Uêba - Os Melhores Links Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!