segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Post - do outro lado do blog [isso bem que poderia ser um filme de Leslie Nielsen, não acham?]

No último dia 28, o cinema perdeu uma de suas figuras mais emblemáticas, especialmente para a minha geração: o canadense Leslie William Nielsen. O mestre de tantas paródias hollywoodianas não resistiu a uma pneumonia que o havia deixado internado por 12 dias. Segundo o sobrinho, Doug Nielsen, ele morreu tranquilamente, dormindo, aos 84 anos.

Deixando o choro de lado - afinal, tenho certeza que se Leslie quisesse que chorássemos, que fosse de rir - e já que este meu humilde recanto internético se chama Caixa da Memória, vamos lembrar um pouco da carreira desse ator cuja cara de pau nos fez rir durante tantos anos.

1980 - Apertem os Cintos... O Piloto Sumiu!



Sátira descarada a uma franquia de grande sucesso na década de 70 (Airport) e considerada a virada na carreira de Nielsen no cinema de comédia. Como esquecer cenas como a do avião rasgando as nuvens ao som do tema de Tubarão, ou da sessão de tapas para tentar acalmar a mulher histérica? Ou ainda aquela em que o avião invade o saguão do aeroporto só porque um daqueles fiscais de pista apontou pro lado errado, e aquela do boneco inflável substituindo o piloto? Como tantas outras comédias dos anos 80, foi reprisada à exaustão na Sessão da Tarde. Pena que não passe mais - pelo menos em horários normais - e nem seja tão fácil de achar numa locadora. 

1988 - Corra que a Polícia Vem Aí!



Esse já esculhambava com todos os típicos filmes de ação policial - cujo maiores exemplos, à época, eram Máquina Mortífera e Duro de Matar (que depois deixou um pouco de lado a coisa do "policial" nas suas sequências). Leslie era o impagável Frank Drebin, um policial exemplar, mas que dava altas mancadas em cerimônias diplomáticas (coitada de Elizabeth II...) e que era um garanhão conquistador (que o diga Priscilla Presley, filha do rei do rock, Elvis). O filme fez tanto sucesso que originou duas sequências, já hilárias nos títulos: Corra que a Polícia Vem Aí! 2 e ½ (1991) e Corra que a Polícia Vem Aí 33e ⅓ - O Insulto Final (1994).

1990 - A Repossuída




Paródia do clássico O Exorcista. Lembro de ter assistido esse aqui, mas por algum motivo, não me marcou tanto. Talvez porque na época eu me borrava de medo do Exorcista. Mas lembro que o filme era legal, com umas piadas tremendamente infames. Afinal, o que esperar de Leslie Nielsen fazendo o papel de um padre, hein?

1993 - Surfistas Ninja




Acho que isso podia não fazer parte do currículo de Nielsen... História nojentinha, elenco ruim e Leslie num papel nem tão engraçado assim. Se não fossem a mesma Sessão da Tarde que o consagrou aqui no Brasil, provavelmente esse filme nem seria lembrado...

1995 - Drácula - Morto Mas Feliz




Esse sim valia a pena assistir! Depois do grandioso sucesso de Dracula de Bram Stoker (e com a carreira precisando de uma oxigenada), Leslie veio com tudo ironizando a pompa e o mistério envolvidos na imagem do vampiro mais famoso de todos os tempos. Ainda por cima, foi dirigido por Mel Brooks, que ainda atua no filme no papel do maior inimigo de Drácula, o doutor Van Helsing. Algumas cenas bem legais incluíam o sangaréu quando se enfiava uma estaca num vampiro e a própria sombra de Drácula, que muitas vezes discordava do seu dono.

1996 - Duro de Espiar




A sátira de Drácula rendeu bons frutos a Leslie Nielsen. Tanto que voltou a uma boa fase, relembrado pela indústria do cinema. Aqui, a graça era feita em cima de filmes ao estilo 007, embora, na minha opinião, tenha ficado muito parecido com o maior sucesso de sua carreira, a série "Corra que a Polícia Vem Aí!". Isso foi um ponto negativo pro filme, mais ainda vale umas risadas.

1997 - Mr. Magoo




Leslie encarnou o famoso personagem dos quadrinhos, o velhinho milionário mais cego desse mundo. Não assisti esse filme, mas lembro que não fez muito sucesso. De fato, foi logo esquecido. Eu mesmo inclui aqui nessa lista só por ter sido uma adaptação de um personagem famoso de outra mídia. E caramba, é Leslie Nielsen fazendo um papel cínico, como só ele sabia fazer!


2003 - Todo Mundo em Pânico 3




A série Todo Mundo em Pânico já é mais que famosa, embora não necessariamente tenha qualidade. O primeiro foi legal, o segundo foi um lixo de tão baixo nível. O terceiro, no entanto, me rendeu ótimas risadas e acho que, até agora, foi o melhor da série. Não se prendeu ao excesso de baixarias e ainda conseguiu amarrar boa parte dos filmes de sucesso da época, ao custo de perder de vez o foco em satirizar filmes de terror (até Matrix entrou na roda nesse filme!). Aqui, Leslie viveu o presidente Harris, uma chacota declarada a George W. Bush e sua estupidez. A única coisa chata a respeito de Leslie nesse filme é perceber que a idade já estava mais do que pesando em suas costas...


2006 - Todo Mundo em Pânico 4




Caiu em qualidade comparado ao anterior, mas graça a deus seguiu a linha de não afundar na baixaria. Claro, tem umas piadas de mau gosto aqui e ali, mas é algo quase inevitável nesse tipo de filme. Mas uma vez Leslie é o presidente Harris, porém ainda mais apagado e visivelmente mais afetado pela idade.


2008 - Super-Herói - O Filme




Não assisti ainda. Na verdade, nem tenho muita vontade. Nem lembrava que Leslie estava no elenco desse filme. Fica o registro puramente por ser o último filme "grande" dele que chegou por aqui.


201? - The Waterman Movie




Animação de baixo orçamento para a qual Leslie já havia gravado as vozes. Com a sua morte, veio também a revelação de que, para ser finalizado, o pessoal responsável pelo filme está batendo cuia na feira atrás de $$. O diretor garantiu que as pessoas que doarem grana para o filme serão citadas nos créditos de "Agradecimentos Especiais". Uma estratégia bem #vaiquecola.




Vale lembrar que a filmografia dele é extensa pra cacete! Basta uma olhada no imdb.com pra entender. Listei aqui só as comédias, mas Leslie atuou também em dramas, ficção científica e outras coisinhas mas. Mas foi na comédia, como vimos, que ele marcou presença no imaginário cinematográfico de pelo menos duas gerações. Com sua morte, o ato de rir no cinema perdeu um pouco a força.


Prováveis herdeiros
Bem, como sempre ocorre quando uma estrela bate as botas, fica aquela boa e velha questão: quem será o novo XXXX? No caso de Nielsen, acho que os mais prováveis candidatos a assumir a lacuna que ele deixou são os seguintes:


Steve Carell




Ele já provou talento de sobra e em pouco tempo. Estourou com o Virgem de 40 Anos, emocionou em Pequena Miss Sunshine como o tio depressivo da garotinha sonhadora e ainda encarnou um personagem famoso da década de 60, o Agente 86. Com seu cinismo in extremis, o bom humor inteligente e atuação competente, Carell tem tudo para ser um dos grandes comediantes do cinema americano, assim como foi Leslie Nielsen.


Zach Galifianakis




Esse aqui pode parecer uma escolha estranha, já que faz um estilo bem diferente de Nielsen. Mas o cara é um greia, como se diz! Não vou me alongar muito falando a respeito desse malucão que ainda cheira a novidade em Hollywood. Acho que meu camarada Caio já fez esse trabalho no seu Caio em Coluna (ver o post "Galifianakis").


Steve Martin




Vocês devem estar franzindo as sobrancelhas neste exato momento. "Comassim? O cara não é um pouco velho pra isso?". Calma. Com o adeus de Leslie Nielsen, o ator que mais facilmente ocupa a vaga deixada por ele, pelo menos a curto prazo, é este texano de 65 anos, tão importante para a comédia quanto o homenageado deste post. Steve Martin tem um charme em cada um de seus personagens, um carisma difícil de imitar e seus filmes tem o toque interessante de não ser apenas mais uma comédia. Pelo menos pra mim, enquanto os dois candidatos acima não tomarem de vez o reino, Martin é quem manda no pedaço.




Fontes: IMDb, G1, e muitas outras...


- x - x - x -


R.I.P.
Leslie Nielsen
* 11/02/1926
†  28/11/2010


:'(

2 comentários:

Caio Viana disse...

Muito bom o post de cinema, e muito bem escrito e limpo também, ao contrário das minhas "prolixidades".
Ah! E vlw pela lembrança!

Amanda disse...

Admito que não era fã do Nielsen e que achava aqueles filmes dele de sessão da tarde um pé no saco sem tamanho.
Na verdade, não deixei de achar isso. De qualquer forma, concordo que ele seja um grande ícone da comédia cinematográfica americana. Mas prefiro o Steve Carell, o Jim Carrey e outros. Enfim.

Nem sabia que você tinha um blog, veja mesmo! :D


(http://macasverdes.com)

Uêba - Os Melhores Links Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!