quinta-feira, 6 de outubro de 2011

JBC reedita Evangelion - e isso não é uma boa notícia

Pra que esse Edição Especial na capa, me diz?
A JBC anuncia novidades para seu catálogo, ainda na onda de comemorações dos 10 anos de mangás da editora. Mas sinceramente, um dos principais lançamentos não me parece nem um pouco digno do evento. Após ter comprado os direitos de publicação de Neon Genesis Evangelion da Conrad, a JBC publicou quatro volumes que estavam parados na antiga editora. A notícia fez a alegria de muitos (como eu), que depois de longo hiato puderam ver sua coleção voltar a ser atualizada. E melhor ainda, respeitando o formato original da Conrad. Até então, tudo parecia bem no horizonte dos fãs de Eva...

Até agora. A JBC anunciou que vai relançar o mangá em formato tankobon (volume integral, correspondente ao original japonês), no que está chamando de "Edição Especial" - e isso vem estampado na capa, que fique bem claro. A nova edição começaria do volume 1 e seguiria até o 12, pelo menos, já que esse é o número de volumes lançados no Japão. 

Qual o problema que vejo nisso? A estratégia é puramente mercadológica, não pensa nem um pouco no investimento feito pelos fãs que começaram a coleção na época da Conrad. Quem, assim como eu, tem todos os volumes da versão anterior sente-se lesado (ou ao menos, deveria se sentir). O que acontecerá com os leitores da "versão antiga"? Serão ignorados e terão que esperar até a coleção alcançar um novo volume japonês para comprar na tal Edição Especial? Parece besteira, mas quem já colecionou algo sabe o quanto de diferença faz ter 24 volumes com cento e poucas páginas e o restante dos volumes numa encadernação maior, mais robusta. Isso sem contar as diferenças na qualidade do papel - quem comprava mangás na fase boa da Conrad sabe que eles tinham um papel de ótima qualidade, que suportava o desgaste do tempo de forma mais vigorosa que o papel pisa-brite (também conhecido como papel jornal) utilizado nos mangás da JBC desde sempre. E pelo preço que está sendo anunciado (confira no fim da matéria), é bastante provável que não tenhamos direito às páginas coloridas,

Sinceramente, não entendo mesmo a ansiedade demonstrada por alguns fãs a respeito desse lançamento. Para mim, um material como esse é puro desrespeito, muito apropriado para os mais novos, que não tiveram oportunidade de acompanhar o mangá à epóca, ou para aqueles que nunca completaram a coleção por motivos vários. Para aqueles que fizeram um esforço ao longo dos anos para comprar cada novo volume, é um produto supérfluo, com alto potencial para ser um a grande decepção. Talvez seja decepção até para os dois grupos anteriormente citados!

Será que a JBC acertou nessa escolha? Não faço ideia. Se os comentários que li no JBox representarem a média, então a editora acertou. Li muitos comentários de gente que afirmava ter a edição anterior mas, mesmo assim, compraria a nova (God! How can they be so stupid?!). Mas não para aí. Além de Evangelion, foram anunciadas edições especiais de Sakura Card Captors e Saint Seyia (este já noticiado anteriormente aqui no Caixa da Memória), obras que têm a seu favor o fato de já estarem completas. Ou seja, seu relançamento vem preencher um vazio que há muito deixava os interessados nessas obras à mercê de preços abusivos dos sebos e comic shops mercenárias.

Déjà vu - A Conrad ensaiou uma edição definitiva de Evangelion em 2005 e a coisa não deu muito certo. O motivo, na minha humilde opinião, era muito simples: preço. Num tempo que mangá ainda não era tão caro, a Conrad jogou nas bancas um produto com proporções menores que o padrão, com um capa feiosa (curiosamente, a capa dessa reedição da JBC é quase igual, porém ainda pior) e por absurdos R$22! Pelo mesmo preço, talvez só uns R$3 mais caro, os leitores de Vagabond tinha direito a uma edição definitiva de fato, com papel de qualidade, tamanho similar a um álbum de luxo e com sobrecapa protetora. Era o mínimo que se exigiria de um produto assim.
Percebe-se que a estratégia da JBC ainda não é fazer uma edição definitiva propriamente, mas um relançamento num formato similar ao original e que virou o padrão no Brasil também.

A nova edição de Neon Genesis Evangelion custará R$10,90, com lançamento previsto para a Fest Comix, que ocorre de 14 a 16 de outubro, em São Paulo. 

Nenhum comentário:

Uêba - Os Melhores Links Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!