sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Retrospectiva 2011 Caixa da Memória - parte 1

Olá, caixeiros! Como estão? Nesse clima de reta final de 2011, resolvi passar a limpo este belo ano que o blog teve, deixando de ser um blog às moscas para ter uma audiência sempre crescente e uma pequena mas fiel legião de leitores, que sempre estão a retornar.

DuCapibaribe: festa de réveillon que fez falta esse ano
Janeiro começou com um post sobre o Réveillon DuCapibaribe, que foi arretado (e fez falta na fraquíssima programação desse ano) e com uma reestruturação no Caixa da Memória. Como relatei num dos primeiros posts do ano, publicado justamente no primeiro aniversário do blog, 2010 não foi um ano muito legal em termos de postagens. Comecei empolgado, mas perdi a constância e o interesse, devido a problemas de ordem técnica e ocupacional, solucionados apenas no segundo semestre. Então, 2011 tinha que ser diferente se eu quisesse levar adiante o blog.

Dilma veio, e com ela, um monte de "reaça" falando besteira nas redes sociais
E foi uma enxurrada de coisas sobre cinema, começando pelas críticas de Enrolados e De Pernas pro Ar, o primeiro Zapost (descendo a lenha em A Origem), as prévias de filmes como Rango, Eu Sou o Número Quatro, Gnomeu e Julieta e Padre. Teve os ganhadores do Globo de Ouro, onde as apostas para o Oscar realmente começaram. Teve também o anúncio dos vilões de O Cavaleiro das Trevas Ressurge (na época, teve gente que nem botava fé em Anne Hathaway para o papel de Mulher-Gato, inclusive eu). Tirando a parte de cinema, a coluna Psicotrópicas estreou em grande estilo, assim como a Deu na Mídia (na época, ainda se chamava Deu no Jornal). Na música, Academia da Berlinda lançou Olindance, segundo disco de estúdio. Teve até espaço pra política, com dois posts sobre a posse - e as infelizes reações a respeito - de Dilma Roussef.

E o Rei Gago levou a estatueta
No mês do Carnaval (opa, essa ano, foi em março!), foi a vez da estreia do Videodrome, talvez a coluna mais regular do blog desde que foi criada, com os comerciais exibidos durante o Super Bowl. Mais cinema - afinal, foi o mês do Oscar! - com críticas de O Turista, Amor e Outras Drogas, O Vencedor e Cisne Negro, além de um megapost "incompleto" sobre os concorrentes ao Oscar.

Fevereiro também marcou a estreia de uma coluna que pretendo voltar a escrever em 2012. Trata-se de 140x10, um desafio a mim mesmo: escrever semanalmente, aos sábados, sobre os trending topics do Twitter em 1400 caracteres. Dizendo, parece fácil, mas acreditem, perdi algumas manhãs de sábado (às vezes, tardes também...) nesse desafio. Pra fechar, um vídeo que fiz juntos com outros colegas de curso para a disciplina de Introdução à TV sobre a sinagoga Kahal Zur Israel, localizada no Recife Antigo.


Março trouxe a melhor festa do ano (THANX, GOD!), o glorioso Carnaval. E tem Carnaval melhor que o de Recife e Olinda? Tem não, véi! Lembramos de músicas velhas, tivemos os primeiros posts sobre Magic (com Innistrad e New Phyrexia), mais filmes (Bruna Surfistinha e VIPs), um dia só para Zangief e a estreia da coluna Mil Palavras e de uma coluna que, infelizmente, não deu certo, a Somatórios, voltada para colaborações externas. O post de estreia foi do meu brodaço, Lucas Campelo. Mas nem só de coisa boa março foi feito. Tivemos as imagens assustadoras do tsunami, o falecimento de Lula Côrtes, a boca grande de Jair Bolsonaro e o blog de Bethânia...
Ah, Carnaval... Chega logo!
No quarto mês do ano, comecei a falar sobre quadrinhos e tentei começar uma nova coluna sobre RPG, chamada A Game of Dices (que também não deu muito resultado como coluna...). Em abril, houve uma pequena queda no número de postagens, pois meu computador quebrou. Foi um problema que repercutiu pelos meses seguintes, até agosto. Com isso, só deu mesmo para continuar as colunas criadas até o momento, como o Videodrome onde apresentei a série catalã Paradigma (by Book of Mirrors) e os primeiros cards de Nova Phyrexia.
Por um mundo sem DJs de ônibus
Maio veio no arrasto de abril e com ele, mais cinema, com o trailer de Tranformers - O Lado Oculto da Lua e Harry Potter e As Relíquias da Morte Parte 2, crítica de Crepúsculo dos Deuses, M - O Vampiro de Dusseldorf (primeira colaboração de Thiago Moreira para o Caixa) e Água para Elefantes. Tivemos um momento utilidade pública no blog, com a campanha da GRCT contra os Djs de ônibus e o Forecasite de previsão do tempo. Ah, e um Videodrome engraçado e saudosista com as vinhetas da America Video.

O filme de super-herói do ano!
E para fechar esta primeira parte da Retrospectiva 2011, o mês de junho trouxe mais posts sobre quadrinhos e Magic e cinema, como a crítica de X-Men Primeira Classe e uma notícia #fail sobre Lanterna Verde (o que não é #fail nesse filme, né?). Comecei uma série de posts sobre mangás (que pretendo terminar) e rolou um "post-desabafo" sobre o curso de jornalismo (aliás, um dos posts mais visitados do blog), motivado por uma matéria antiga que dizia ser o curso de jornalismo o mais fácil de todos os cursos superiores. Aham, Cláudia, senta lá.

Bem, ficamos por aqui e aguardem a parte 2, que sairá logo, fechando este ano tão agitado.
Até a parte 2!

= = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = =

Wesley Prado é recifense, leonino, quase jornalista e nostálgico. Lembra da queda do Muro de Berlin. Simplesmente louco por quadrinhos, RPG, livros e cinema. Criador do Caixa da Memória, mas humilde demais para querer ser chamado de deus ou papai.

Nenhum comentário:

Uêba - Os Melhores Links Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!